Terça-feira, 27 de Janeiro de 2009

...

"O amor não é cego, ele simplesmente permite a uns ver o que outros não conseguem ver." – Anónimo



A menina debruçada na janela trazia nos olhos grossas lágrimas e o peito oprimido pelo sentimento de dor causado pelo desaparecimento do seu cão de estimação. Com pesar observava atenta o jardineiro que sepultava o corpo do amigo de tantas brincadeiras. A cada pá de terra, sentia como se a sua felicidade estivesse sendo soterrada também. O avô que observava a neta, aproximou-se, envolveu-a num abraço e falou-lhe com serenidade: - Triste cena, não é verdade? A netinha ficou ainda mais triste e as lágrimas rolaram em abundância. No entanto, o avô que desejava confortá-la chamou-lhe a atenção para outra realidade. Pegando-lhe na mão conduziu-a para uma janela localizada no lado oposto da ampla sala. Abriu as cortinas permitindo mostrar o jardim florido à sua frente e perguntou-lhe carinhosamente: - Estás a ver aquela roseira vermelha diante de nós? - Lembras-te que foste tu que me ajudas-te a plantá-la? - Foi num dia de sol como hoje que nós dois a plantámos. Era apenas um pequenino pé de roseira cheio de espinhos e vê como está grande e bonito hoje, carregado de flores perfumadas e botões como promessa de novas rosas. Vê ainda as abelhas que pousam sobre elas e as borboletas que fazem festa entre umas e outras das tantas rosas que enfeitam o nosso jardim. A menina limpou as lágrimas que ainda teimavam em permanecer na sua face e abriu um largo sorriso. O avô, satisfeito pôr a ter ajudado a superar o momento de dor falou-lhe com afecto: - Minha netinha, a vida oferece-nos sempre várias janelas. Quando a paisagem de uma delas nos causa tristeza sem que possamos alterar o quadro, voltamo-nos para outra, e certamente nos deparamos com uma paisagem diferente. Tantos são os momentos da nossa existência, como tantas são as oportunidades de aprendizagem que nos visitam no dia-a-dia que não vale a pena sofrer diante de quadros que não podemos alterar. São sim experiências valiosas da vida, das quais devemos tirar lições oportunas sem nos deixar tragar pelo desespero e revolta que só nos trazem infelicidade.

APROVEITAR A LIÇÃO Por vezes limitamos a nossa visão do mundo… Se hoje observamos um quadro desolador, no mesmo intante devemos lembramo-nos de que existem tantas outras janelas, com paisagens repletas de promessas de melhores dias. Não nos devemos permitir contemplar uma janela de dor. Devemos sim aproveitar a lição e seguir em frente ainda com mais ânimo e disposição. Ao agirmos assim, o sabor amargo do sofrimento logo irá ceder lugar ao sabor agradável de VIVER.
publicado por lifecoaching às 00:33
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 20 de Janeiro de 2009

...

"Há uma força motriz dentro todo o ser humano que uma vez, desencadeada, pode tornar qualquer visão, sonho ou desejo em realidade" - Anthony Robbins


O Buda Dourado

Em 1957, um grupo de monges tibetanos foi informados que uma estrada que estava a ser construída teria de passar pelo local onde o santuário pelo qual eram responsáveis estava actualmente localizado. O santuário, composto por um enorme Buda em barro, teria que ser transferido. Acordos foram feitos e o dia de deslocar o Buda chegou. O santuário do Buda, protegido por uma cobertura para mantê-lo seguro, foi preparado para a sua viagem. Uma enorme grua começou a elevar o Buda de barro. O Buda, ao ser içado do pedestal onde repousava, começou a rachar. Era muito mais pesado do que todos os engenheiros haviam estimado. O monge que supervisionava a movimentação Buda chama freneticamente o operador da grua, e pede-lhe para trazer o Buda para baixo. Rapidamente, e após o alerta o operador do guindaste pouso cuidadosamente o Buda no terreno. Os monges e os engenheiros ao examinarem o Buda encontraram várias fissuras de dimensão considerável. Uma grua maior seria necessária. Grua essa que só seria trazida no próximo dia. O Buda teria que passar a noite na sua actual localização. Para piorar, aproximava-se uma enorme tempestade.

Os monges cobriram o Buda com oleados presos em postes na tentativa de mantê-lo a seco durante a noite. Tudo parecia estar bem. Durante a noite, o monge superior acordou e decidiu verificar o Buda. Com uma lanterna, o monge cuidadosamente verificou a condição de Buda. Como ele andou em torno da figura de barro verificou um enorme brilhar que a sua luz reflectia sobre as fendas, algo que capturou de imediato o seu olhar. Voltou ao local onde tinha acabado ver o brilho reflectido a sua luz. Espreitou cuidadosa e intensamente para a fissura. O que viu ele não entendeu. Precisava de ver ainda mais. Voltou aos seus aposentos, encontrou aí um cinzel e um martelo e voltou para o Buda. Começou cuidadosamente a perfurar o barro em torno da fissura. Ao fazê-lo a racha abriu, e ele não podia acreditar no que os seus olhos viam. Correu a acordar os outros monges e deu instruções para que cada um trouxesse consigo martelo e cinzel. Á luz da lanterna os monges cuidadosamente retiraram todo o barro do Buda. Depois de horas, a esculpirem o barro, os monges recuaram e observaram estupefactos e em reverência… à vista, perante eles estava um sólido Buda de OURO.

Quando a equipa chegou mais tarde nessa manhã para concluir o trabalho de deslocar o Buda para o seu novo local, houve muita confusão e emoção. Para onde tinha ido o Buda de barro? De onde tinha vindo o Buda Dourado? Os monges explicaram. Historiadores foram chamados e a investigação foi iniciada para descobrir a origem do Buda Dourado.

Após muita investigação, as peças da história foram colocados juntas. Vários séculos antes o Buda Dourado estava carinhosamente à responsabilidade de um grupo de monges. Estes monges receberam a palavra que o exército Birmanês dirigia-se em sua direcção. Preocupados que o exército poderia invadir e saquear o santuário do seu Buda Dourado, os monges cobriram o seu Buda com 8 a 12 centímetros de argila. Quando eles terminaram o Buda Dourado parecia agora ser um Buda de barro. Os invasores do exército Birmanês, certamente não teriam interesse. Os monges estavam correctos. Os invasores não tiveram qualquer interesse no Buda. Ainda assim, mataram todos os monges antes de seguir em frente. O Buda Dourado perdeu-se assim na história até 1957.

Existe um Buda dourado no interior de cada um de nós. Escondido e coberto com camadas e camadas de barro. Começamos a nossa vida como um verdadeiro Buda Dourado. Depois o nosso verdadeiro EU é colocado numa prateleira e vemo-nos envolvidos no jogo da sobrevivência. Cada um de nós começa a perder a nossa verdadeira identidade e perdemos de vista os dons de cada um tem para oferecer.

A história do Buda Dourado dá-nos ferramentas que podemos usar todos os dias - a lanterna, o cinzel e o martelo. A lanterna representa o poder de nossa visão individual. O cinzel representa o poder do nosso nível individual de responsabilidade. O martelo representa o poder do nosso sentido individual de equipa que irá guiar cada um de nós ao caminho do sucesso. A equipa que cada um de nós tem disponível para si, são as pessoas que sabemos que incondicionalmente estão lá para nós - os nossos VERDADEIROS Amigos e Familiares.

(Adaptado de “Chicken Soup For The Soul”, Jack Canfield & Mak Victor Hansen)
publicado por lifecoaching às 00:00
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 13 de Janeiro de 2009

...

"Não é porque as coisas são difíceis que nós não ousamos, é porque nós não ousamos que as coisas são difíceis" – Seneca


OUSE

Conta uma antiga lenda que na Idade Média, um camponês muito religioso foi injustamente acusado de ter assassinado uma mulher.
Na verdade, o autor do crime era uma pessoa muito influente do reino e por isso, desde o primeiro momento procurou-se um "bode expiatório" para encobrir o verdadeiro assassino. O camponês foi levado a julgamento e seria condenado à forca. Ele sabia que tudo iria ser feito para o condenarem e que teria poucas hipóteses de sair vivo desta história.
O juiz, que também estava comprado para levar o pobre homem à morte, simulou um julgamento justo fazendo uma proposta ao acusado para que provasse sua inocência.
Disse o juiz:
- Sou de uma profunda religiosidade e por isso vou deixar a sua sorte nas mãos de Deus. Vou escrever num papel a palavra INOCENTE e noutro a palavra CULPADO. Você tira um dos papéis e aquele que sair será o seu veredicto. Deus irá decidir o seu destino, determinou o juiz.
Sem que o acusado percebesse, o juiz preparou os dois papéis mas em ambos escreveu CULPADO, de maneira a que não houvesse nenhuma hipótese alguma do acusado se livrar da forca.
Não havia saída. Não havia alternativas para o pobre homem. O juiz colocou os dois papéis numa mesa e mandou o acusado escolher um deles.
O homem pensou alguns segundos, aproximou-se confiante da mesa, pegou num dos papéis e rapidamente colocou-o na boca e engoliu-o.
Os presentes ao julgamento reagiram surpresos e indignados com a atitude do homem.
- Mas o que é que você fez? E agora? Como é que vamos saber qual o seu veredicto?
- É muito fácil respondeu o homem, basta olhar para o papel que sobrou e vocês saberão que acabei de engolir o contrário do que nele estava escrito!
De imediato o homem foi libertado.

SEJA CRIATIVO! QUANDO TUDO PARECER PERDIDO, OUSE!

Por mais difícil que seja uma situação, existe SEMPRE uma solução se não deixarmos de acreditar e de lutar até ao último momento.
Temos habitualmente o “vício” de face ao problema ficarmos focados em 80% no PROBLEMA, e apenas em 20% na solução. E se invertermos a situação, FOCUS em 80% na SOLUÇÃO e unicamente 20% no problema, o resultado vai ser o mesmo?
Desafio para esta semana: Quando encarar um problema, pensar na solução e não no problema!
publicado por lifecoaching às 00:00
link do post | comentar | favorito
|
Em parceria com

Espaço de Coaching Pessoal

Mais do que um blog, este consultório online é um espaço onde pode saber mais sobre Coaching Pessoal. Para si que tem questões e dúvidas nas áreas mais importantes da sua vida o Coaching é uma poderosa parceria que o habilita a gerar mudança, e mudar a sua vida.
Pronto para levar a sua VIDA, os seus Objectivos e as suas Metas para o próximo nível?
O Coaching facilita e leva-o a descobrir poderosas estratégias que o transportam numa fantástica jornada de descoberta e crescimento de onde está AGORA, para onde sonha e deseja vir a estar.

Envie a sua questão:E-mail: jorge@jorgecoutinho.com

Jorge Coutinho

Results Coach e Neurostrategist, Practitioner em PNL, Hipnoterapia e Time Line Therapy e Master Trainer em Coaching. É Membro da comunidade Anthony Robbins sendo actualmente o primeiro e único Senior Leader desta organização em Portugal. Instrutor de Firewalking.
Membro do ICF (International Coach Federation). Criador do Workshop de Desenvolvimento Pessoal “SIM, TU Podes!”.
Licenciado em Gestão com Pós-Graduação em Sales Management. Co-Fundador e Partner da BeCoach, empresa de Business Coaching que actua na área de Coaching de executivos e alta performance em liderança empresarial.
Como lema de vida adoptou para si a frase de um dos seus ídolos: Não podemos voltar atrás e fazer um novo começo,mas podemos sempre recomeçar e fazer um novo final.Ayrton Senna


Contactos:
Telemóvel:917 884 319
E-mail: jorge@jorgecoutinho.com
Site: www.jorgecoutinho.com

posts recentes

Mafalda e o Ano Novo . ne...

O Colibri . new smile, ne...

4 Regras simples para SER...

A Cidade dos Resmungos . ...

Persistência . new smile,...

Mantém-te Insaciável. Man...

O Papel . new smile, new ...

O Poder do Entusiasmo . n...

A Chávena Cheia . new smi...

Milho, Pipoca e... Piruá ...

arquivos

Fevereiro 2012

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

subscrever feeds